CÓDIGO DE CONDUTA

Os Investigadores do OBSERVARE – Observatório de Relações Exteriores, da Universidade Autónoma de Lisboa exprimem os seguintes compromissos deontológicos para o desempenho da sua actividade:

N

1. Assumir, no interior de uma comunidade de conhecimento, a responsabilidade da construção da ciência enquanto património colectivo, contribuindo para o progresso desse conhecimento ao serviço da humanização das nossas sociedades.

N

2. Promover a liberdade de pensamento, a independência, o espírito critico e criativo, o rigor científico, a fiabilidade e a credibilidade do seu trabalho.

N

3. Respeitar a diversidade de valores, de opiniões e de preferências dos membros da comunidade científica, que se deseja plural e solidária.

N

4. Rejeitar qualquer prática de concorrência desleal para com os colegas.

N

5. Aceitar apenas as tarefas para as quais se sintam preparados, pelo domínio das metodologias de investigação e do “estado da arte”, reconhecendo a necessidade da formação contínua.

N

6. Acautelar que as informações produzidas sejam verificáveis, devendo explicitar as eventuais incertezas das suas conclusões e distinguindo entre resultados consolidados e meras hipóteses ou especulações.

N

7. Reconhecer a responsabilidade social da sua actividade, cuidando do impacto das suas publicações ou posições públicas e evitando que as suas investigações afectem indevidamente outras pessoas.

N

8. Recusar a falsificação e a manipulação de dados susceptível de distorcer intencionalmente a realidade e assegurar a privacidade sempre que a confidencialidade dos dados estiver em causa.

N

9. Recusar com intransigência qualquer tentação de apresentar como seus os resultados do trabalho de outros, seja através do plágio literal, seja pela apropriação indevida de ideias alheias, e evitar as citações de outros autores que, retiradas dos contextos em que foram escritas, vejam o seu sentido deturpado.

N

10. Cuidar com especial atenção da autoria dos textos difundidos, mencionando adequadamente todas as pessoas que participaram na investigação, incluindo os estudantes, cuja autorização deve ser requerida, e não repetir sem referência as suas próprias ideias já anteriormente publicadas.

N

11. Reivindicar a co-autoria de um texto apenas quando houver participação substancial no trabalho produzido e assegurar que os nomes dos autores surjam por ordem da contribuição intelectual para a investigação.

N

12. Colaborar activamente com as equipas de trabalho e rejeitar a retenção de informações que dificulte o prosseguimento do projecto por outros investigadores.

N

13. Participar activamente nos mecanismos de arbitragem científica, aceitando dar pareceres no quadro da revisão por pares (peer review), garantindo a confidencialidade do processo e o sentido construtivo dos pareceres e respeitando os prazos estabelecidos.

N

14. Comprometer-se a não submeter o mesmo texto para publicação científica a mais do que uma publicação com peer review.

N

15. Respeitar as pessoas que sejam objecto de entrevistas, inquéritos ou sondagens, informando-as acerca dos objectivos da investigação.

N

16. Respeitar igualmente a cultura e o ambiente natural e social dos grupos humanos envolvidos na pesquisa.

N

17. Estabelecer uma relação transparente com as entidades financiadoras, referir claramente e sem omissões as organizações que tornaram possível o estudo ou nele colaboraram e respeitar os acordos relativos à propriedade dos resultados.

N

18. Declarar expressamente qualquer conflito de interesses, seja em relação aos objectos de estudo, seja em referência às entidades financiadoras, explicitando circunstâncias que podem afectar a isenção do seu trabalho.

N

19. Solidarizar-se com a realização de eventos científicos, colaborando na sua organização e prestando as informações curriculares ou outras que sejam solicitadas.

N

20. Promover a respeitabilidade e a credibilidade do OBSERVARE e da Universidade Autónoma de Lisboa e utilizar criteriosamente os recursos postos à disposição dos investigadores.

 

Observare 2020 - Todos os direitos reservados

Unidade de Investigação avaliada e financiada pela FCT através do projecto UID/CPO/04155/2019.
Este site foi reestruturado através do financiamento por fundos nacionais da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do Projecto - Refª UID/CPO/04155/2019