POPULISMO ENQUANTO FENÓMENO POLÍTICO


Texto completo PDF

Maria Sousa Galito
email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Investigadora Integrada do CEsA/CSG – Investigação em Ciências Sociais e Gestão do ISEG/Universidade de Lisboa (Portugal) desde 2013. Pós-Doutoranda e Investigadora Associada do Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa desde 2017. Doutorada (2006/08) e Pós-Graduada (2002/04) em Ciência Política e Relações Internacionais no Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa (IEP-UCP). Mestre em Economia (1999/2000) na Universidade de Nantes, França. Licenciada em Economia (1995/99) na Universidade de Évora. Auditora de Defesa Nacional (2012/14) no Instituto de Defesa Nacional. Curso de Formação Especializada para Observadores de Curto Termo no ISCSP (2016). Professora auxiliar durante cinco anos. Oradora experiente, com publicação regular de artigos de investigação no âmbito nacional e internacional.



Resumo


O populismo é um fenómeno político que é difícil de definir e, portanto, de medir. Tanto é temido como glorificado. A sua teorização pode ser, em si, uma afirmação política. O populismo é extremista e anti-sistémico, assim se diferenciando do que é popular e genericamente aceite, mas moderado no seu alcance. Pode ser uma estratégia política, uma ideologia, ou um estilo facilmente propagado pelos meios de comunicação, em especial quando defendido por líder carismático, capaz de gerar emoções e de galvanizar o povo.



Palavras-chave


Populismo, Democracia, Antissistema



Como citar este artigo


DOI: https://doi.org/10.26619/1647-7251.9.1.4



Artigo recebido em 11 de Maio de 2017 e aceite para publicação em 31 de Agosto de 2017