IDEALISMO E REALISMO NAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS: UM DEBATE ONTOLÓGICO


Texto completo PDF

Vítor Ramon Fernandes
email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Professor Auxiliar de Relações Internacionais na Universidade Lusíada (Portugal), onde leciona Organizações Políticas Internacionais e Conflitos Regionais na Licenciatura em Relações Internacionais. É Visiting College Research Associate em Wolfson College (Universidade de Cambridge), onde leciona seminários sobre Segurança Internacional no Mestrado em Políticas Públicas (MPhil in Public Policy). Foi Visiting Scholar na Universidade de Cambridge, no Department of Politics and Internacional Studies e em Wolfson College, do qual é membro. É Doutor em Relações Internacionais pela Universidade Nova de Lisboa, Mestre em Economia pela University of Kent, Mestre em Gestão de Empresas pelo ISCTE–IUL e Licenciado em Economia pela Faculdade de Economia da UNL. Foi Auditor do Curso de Defesa Nacional do Instituto de Defesa Nacional. As suas áreas de investigação incluem Teoria das Relações Internacionais, Estudos de Segurança, Conflitos Regionais, Intervenção Humanitária e Responsabilidade de Proteger. A experiência anterior inclui cargos como Vice President no banco JP Morgan em Paris e em Madrid. Foi Consultor Associado na McKinsey & Company e Senior Manager na AT Kearney em Lisboa, e Administrador em empresas como a OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, SA e a IDD, SA, na área da defesa, e o Diário de Notícias, SA, na área dos media.



Resumo


O debate entre realismo e idealismo continua a marcar a disciplina das Relações Internacionais. Por um lado, o realismo argumenta que a política internacional é uma luta pelo poder e uma procura pela sobrevivência, de onde resulta uma circunstância de conflito permanente entre os Estados, sem qualquer possibilidade de evolução e progresso. Por outro lado, o idealismo considera que é possível construir um mundo de coexistência pacífica, de prosperidade e de bem-estar, alcançados através da cooperação fundada em elementos assentes em valores e aspirações partilhados pelos seres humanos. O objecto deste artigo é analisar o debate entre idealismo e realismo, considerando-o como um debate ontológico e tendo em consideração a polémica que tem gerado. O argumento aqui apresentado é que tanto o realismo como o idealismo constituem duas respostas em relação à criação e à manutenção da ordem internacional, isto é, à forma como os Estados se relacionam na sociedade internacional, mas que não são, nem forçosa nem mutuamente, exclusivas, podendo coexistir em constante tensão uma com a outra. Nesse contexto, apresenta-se também uma análise do pensamento internacionalista de dois autores referentes nas Relações Internacionais, Hans Morgenthau e Raymond Aron, relativamente à forma como cada um deles se posiciona neste debate.



Palavras-chave


Idealismo; Realismo; Ontologia; Poder; Ética.



Como citar este artigo


Fernandes, Vítor Ramon (2016). "Idealismo e realismo nas Relações Internacionais: um debate ontológico". JANUS.NET e-journal of International Relations, Vol. 7, N.º 2, Novembro 2016-Abril 2017. Consultado [online] em data da última consulta, observare.ual.pt/janus.net/pt_vol7_n2_art2 (http://hdl.handle.net/11144/2781)



Artigo recebido em 21 de Março de 2016 e aceite para publicação em 19 de Setembro de 2016