logo III observare horiz

 

O tema deste III Congresso Internacional do OBSERVARE pressupõe uma leitura das relações internacionais que ultrapassa o mero relacionamento entre Estados soberanos ou o jogo de forças entre as potências dominantes. Como é bem sabido, muitos dos processos que estão em curso no sistema mundial são literalmente transnacionais. A designação PARA ALÉM DAS FRONTEIRAS exprime justamente esse objectivo de explorar os fenómenos transversais às áreas de jurisdição da soberania clássica, fenómenos que a globalização veio intensificar sobremaneira.

Apesar da natureza multitudinária desses processos, não é possível esquecer que eles envolvem sempre pessoas – mesmo na sua singularidade – enquanto sujeitos individuais, o que obriga a humanizar a compreensão das próprias realidades mundializadas. Mas a actualidade dos fluxos de populações, na sua dimensão colectiva, também aconselha a estudar com especial cuidado os problemas demográficos, as questões do povoamento, as correntes migratórias e, em geral, os movimentos populacionais.

Mesmo quando se constata o carácter imaterial de muitos dos processos, ou até a sua transposição para a realidade virtual, a verdade é que as suas raízes continuam mergulhadas nos territórios concretos onde se localizam as actividades humanas. Todavia, há novos espaços que se redefinem na situação actual, sejam os espaços económicos de produção e transacção de bens e serviços, sejam os espaços que constituem subsistemas de segurança, interligados por redes flexíveis, muitas vezes à margem das fronteiras tradicionais. Forma-se assim uma paisagem nova e inovadora na política mundial, convivendo de modo problemático com o mapa-múndi convencional.

Entretanto, confirma-se o anunciado fim das ideologias ou, pelo contrário, as ideias continuam a influenciar ou mesmo a presidir à evolução dos acontecimentos? Em tempos de incerteza – e no ano que coincide com o centenário da Revolução de Outubro de 1917 – estão fragilizados os quadros mentais de referência ou, inversamente, há uma cristalização dos modos de pensamento dominantes? Qual o impacto na situação internacional de ideologias tão diversas como o marxismo, o neoliberalismo ou as crenças religiosas?

A sucessão destas questões justifica o subtítulo: PESSOAS, ESPAÇOS, IDEIAS. Em torno destes três termos, todos eles analisados “para além das fronteiras”, estruturam-se os trabalhos do Congresso, tanto nas suas conferências plenárias como nos seus painéis temáticos. É um Congresso aberto às comunidades universitárias portuguesas e estrangeiras, com a ambição de trazer progressos para o conhecimento científico nesta área sensível das relações internacionais.